top of page

MÚSICA DA ALMA.

Atualizado: 24 de fev. de 2022

COLOSSENSES 3:16 – “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.” O blues é um estilo musical que surgiu no sul dos Estados Unidos. Os cantos de lamento e esperança eram entoados por escravos nas fazendas de plantação de algodão durante suas árduas jornadas de trabalho. Os cânticos tinham fortes influências das canções africanas onde os questionamentos são feitos por um solista em forma de rima e a resposta vem em forma de coro com as vozes das outras pessoas. Em meio ao sofrimento vivido por serem levados cativos para uma terra distante, eles externavam o sentimento com uma melodia que expressava a dor de suas almas.

Muitos dos que foram escravizados eram príncipes e princesas em seu lugar de origem antes de serem capturados, separados de suas famílias alguns já não tinham esperança de encontrar algum tipo de justiça neste mundo, mas acreditavam em redenção na eternidade. Mesmo os negros nascidos na América compartilhavam do sentimento de dor e pertencimento que eram externados em suas canções.

O estilo musical que se espalhou pelo mundo e inspirou à criação de outros gêneros da música americana, só passou a ser chamado de blues depois da guerra civil que aconteceu no país. Em seu sentido original a palavra blues tem o sentido de tristeza ou até mesmo melancolia. Assim como em outros lugares onde houve escravidão, os escravagistas americanos viam os negros como primitivos e desprovidos de alma. Depois de muito tempo de opressão e dominação eles decidiram fazer a evangelização em massa dos escravos a fim de levá-los a crer em Jesus, contudo, textos das Escrituras Sagradas também eram utilizados para justificar a escravidão e manter a submissão. Os cânticos religiosos passaram a ser permitido e se tornou uma forma de expressão. Usando grande capacidade de adaptação os escravos transformaram hinos batistas e metodistas em um estilo musical que passou a ser chamado de “negro spiritual”. Os cânticos davam um sentido particular às passagens do Antigo Testamento, uma mistura de tristeza e de alegria pelo Paraíso, demonstrando a esperança pela volta de Jesus e, o anseio por serem livres.

O cativeiro do povo hebreu no Egito e sua libertação serviam de inspiração e de esperança nos versos das músicas negro spiritual. Um bom exemplo é “Go Down Moses” gravado por Louis Armstrong, e que se tornou trilha sonora da animação “Príncipe do Egito” lançado em 1998, cujo versos dizem: “Go down Moses, way down in Egypt-s land / Tell old Pharahoh, let my people go”. “Desça, Moisés, desça às terras do Egito / Diga ao antigo Faraó que deixe meu povo ir”. A música espiritual com viés bíblico foi a principal fonte para a criação do blues.

A música é a melhor forma de expressão da nossa alma, através dela podemos revelar nosso estado de espírito. Com harmonia na forma de versos podemos expressar nossos sentimentos de amor, dor, tristeza e alegria. Também podemos adorar a Deus com notas musicais e o som da nossa voz. Nos alvos campos ecoavam sons de vozes de almas aflitas, porém em suas letras e melodias existiam fé e esperança, em seus corações havia espírito de liberdade, pois criam na volta de seu redentor que os levaria para terra de Canaã. As lutas fazem parte da nossa jornada, neste mundo passamos por tribulações, vivemos dias maus e sentimos o sabor da derrota. Nestes dias um canto de melancolia inquieta a nossa alma. Não importa a nossa história ou aquilo que estamos vivendo, Cristo nos chama para vivermos algo novo. Ele quer mudar nossa vida e escrever uma bela canção, para que possamos cantar sua grandeza e as maravilhas de Deus. Um dia estaremos na eternidade diante de seu trono cantando: Santo, Santo, Santo é o Senhor!


Márcio J. Fostino.


Clique e Saiba mais em:


Go Down Moses: Louis Armstrong:


Para adquirir o livro NAS MÃOS DE DEUS, clique no link abaixo:






153 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
bottom of page