top of page

PERSONALIDADE DE UM DISCÍPULO.

Atualizado: 15 de jun. de 2021

Gálatas 2:11-12 “Quando, porém, Pedro veio a Antioquia, enfrentei-o face a face, por sua atitude condenável. Pois, antes de chegarem alguns da parte de Tiago, ele comia com os gentios. Quando, porém, eles chegaram, afastou-se e separou-se dos gentios, temendo os que eram da circuncisão.”

Jesus já havia subido aos céus e seus apóstolos eram os líderes da igreja. Depois de sua conversão Paulo de Tarso que antes era um dos principais perseguidores dos discípulos de Jesus foi nomeado apóstolo e tornou-se um líder do grupo. Os discípulos eram todos judeus, para eles a mensagem de Jesus deveria ser anunciada para os Judeus. Paulo era judeu, mas tinha cidadania romana e foi instruído na cultura grega, motivos pelos quais conseguiu convencer os outros líderes da necessidade da pregação do evangelho aos gentios, ou seja, para aqueles que não eram judeus. Pedro, João e Tiago haviam decidido que Paulo, Barnabé e outros lideres pregariam para os estrangeiros, enquanto eles anunciariam a mensagem para seus compatriotas. Havia certa resistência por parte de alguns quanto àqueles que não eram judeus e que haviam se convertido a Cristo. Parte do grupo entendia que os estrangeiros convertidos deveriam ser circuncidados ao se converterem, já que todo judeu de nascimento era circuncidado ao oitavo dia, porém, Paulo havia convencido a maioria que bastava apenas a fé em Jesus. Diante do que fora decidido não poderia haver distinção de pessoas, no entanto, alguns se deixam levar pelo preconceito com a chegada de Tiago e seu grupo, que eram judeus fervorosos. Diante dessa situação, Paulo repreende publicamente Pedro que deixou se influenciar, se desfazendo dos gentios. Como líder, Pedro não teve personalidade de seguir aquilo que ele mesmo havia acordado.

Pedro, João e Tiago andaram com Jesus durante três anos e meio, eles foram instruídos com a melhor didática, ou seja, a prática. Jesus tinha um caráter inquestionável, ele tinha plena convicção daquilo que acreditava e sobre as coisas que precisava fazer, dizia não quando era necessário e agia da mesma forma para dizer sim. Jesus espelhava o caráter de Deus e seus discípulos puderam aprender com ele. Enquanto discípulos eles precisariam ter personalidade para espelhar o caráter de Jesus.

A palavra personalidade tem sua origem nas máscaras que eram usadas pelos atores gregos. Os atores eram todos homens e utilizavam máscaras (phersu) para interpretar os vários personagens. No latim as máscaras eram chamadas de persona, que originou a palavra personalidade, as palavras pessoa e personagem são da mesma raiz etimológica. O caráter representa quem realmente somos já a personalidade trata-se de como nos apresentamos para as pessoas. Podemos usar várias máscaras, uma pessoa pode ser extrovertido na família e introvertido em outro grupo social. Uma pessoa de personalidade usa uma máscara transparente e todos podem ver seu caráter, ela manifesta a sua opinião e suas crenças.

Ás vezes nos espelhamos em determinadas personalidades, pessoas públicas que criam personagem que não cabem no mundo real e que não conseguem refletir o seu próprio caráter. Jesus não é um personagem fictício, Ele é a pessoa que com personalidade espelha o caráter de Deus.


Márcio J. Fostino


Clique e saiba mais:


353 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
bottom of page