top of page

PROFETAS X SACERDOTES.

Atualizado: 24 de fev. de 2022

LUCAS 13:34-35- “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha os seus pintos debaixo das asas, e não quiseste? Eis que a vossa casa se vos deixará deserta. E em verdade vos digo que não me vereis até que venha o tempo em que digais: Bendito aquele que vem em nome do Senhor”.

Os ensinamentos de Jesus eram proféticos, mudavam a vida das pessoas e mexiam com as estruturas sociais, por isso, incomodavam as autoridades políticas e religiosas. Muitos viam Jesus como profeta e passaram a segui-lo. Quanto mais seus seguidores se multiplicavam, maior era a perseguição contra Ele, já que sua mensagem de correção desagradava o palácio, Templo e as sinagogas. Pressionado pelas autoridades religiosas, Herodes passou a persegui-lo. Enquanto Jesus ensinava em Jerusalém, alguns dos fariseus que estavam ali presentes sugeriram que ele se retirasse para que não fosse morto por Herodes. Jerusalém era o centro da fé judaica, a cidade abrigava o Templo, Jesus lembra que muitos dos profetas que Deus havia enviado foram perseguidos e mortos, em seguida faz uma profecia de que sua morte aconteceria ali.

No hebraico, na maioria das vezes a palavra profeta está associada ao termo “Nabi”, que significa “porta voz”, já os sacerdotes eram os responsáveis pelos sacrifícios feitos às divindades nos cultos religiosos, sendo em alguns casos os responsáveis pelos ensinamentos. O profeta transmitia a vontade de Deus para os homens, os sacerdotes levavam as pessoas a Deus através dos rituais. Embora tenham existido muitos profetas em Israel, Moisés é denominado como “O Profeta”, pois toda a Lei dada ao povo hebreu foi revelada a ele, já seu irmão Arão (Aarão) tornou-se o primeiro sacerdote após ser instituído o ministério sacerdotal entre os israelitas. Enquanto Moisés subia ao monte do Sinai para receber a revelação de Deus, Arão ficou no comando em seu lugar na planície. Como Moisés estava demorando e não havia respostas de Deus, o povo pressionou Arão para que fosse construído algo que eles pudessem adorar, então ele construiu um bezerro de ouro. Quando Moisés desceu do monte ele viu o povo adorando o bezerro de ouro, indignado, quebrou as duas tábuas de pedras que continham os dez mandamentos revelados a ele por Deus. Ele repreendeu Arão e puniu os responsáveis, em seguida ele separou a tribo de Levi para o oficio sacerdotal e oficializou seu irmão como o Sumo Sacerdote.

A carta aos Hebreus apresenta o sacerdócio Levítico como sombra das coisas celestiais e mostra Jesus como o Sumo Sacerdote, a Lei e os Profetas apontavam para Ele, portanto não há mais necessidades de sacrifícios e nem de profecias. Ao exercer seu ministério terreno Jesus escolheu os Apóstolos para que houvesse a continuidade na pregação da mensagem, eles instituíram as funções de presbíteros e diáconos. Os evangelhos trazem as boas novas da vinda de Jesus mostrando que Ele é o “Messias”, os escritos do Novo Testamento também apontam para acontecimentos futuros que antecedem a sua volta, aquele que proclama estas mensagens torna-se um profeta na vida de alguém, pois é usado como porta voz da vontade de Deus.

Muitos dos profetas de Israel vieram da linhagem dos sacerdotes, apesar disso, na maioria das vezes eles foram perseguidos, pois denunciavam a apostasia do povo que muitas vezes ocorria em virtude dos falsos ensinamentos. Enquanto os sacerdotes se preocupavam com a manutenção do sistema religioso, os profetas advertiam quanto ao afastamento da vontade de Deus, por esta razão, quase sempre eles eram solitários. Embora as nomenclaturas e as funções possam ter mudado com a vinda de Jesus, ao pensarmos que não há divisão histórica no Reino de Deus, podemos pensar que a função de profeta é exercida quando alguém anuncia as Escrituras, desta forma, existem aqueles que estão sendo usados como profetas numa igreja local conduzindo os membros dentro de uma visão institucional, mas é necessário que se levante também os profetas de uma geração, aqueles que através das Escrituras denuncia a contaminação da mensagem, para que a igreja não perca o foco em Cristo. Jerusalém é uma tipificação da Igreja de Cristo, sendo assim, nos dias de hoje os profetas continuam sendo perseguidos, como antigamente em Jerusalém. Finalmente, o líder religioso de uma igreja cristã precisa escolher qual caminho seguir e com qual função seu ministério tem mais afinidade. Diante do exposto, é importante entender que quando o profeta se ausenta, o sacerdote constrói bezerros de ouro para agradar os membros do Arraial. É muito mais fácil voltar aos sacrifícios a fim de obter o favor de Deus do que ser fiel e cumpridor dos ensinamentos. Jesus se ofereceu como cordeiro para morrer pelo pecado que nos trouxe a morte, portanto, não precisamos de outro mediador e nem sacerdotes que ofereçam sacrifícios, mas de nos arrepender dos nossos pecados, neste aspecto, os profetas precisam continuar denunciando as transgressões e anunciando a salvação.


Márcio J. Fostino.


Clique e saiba mais

Para adquirir o livro NAS MÃOS DE DEUS, clique no link abaixo:





492 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
bottom of page